LivreLivro

Na verdade no facebook, um video que algum estranho passou para uma amiga. E adorei. Bem diferente…

E como leitura não é só leitura de livros, coloco aqui:

Perfeito também, para acompanhar leituras!

 

Tags:

Continuando com a leitura da minha pilha de livros… Acabei de ler Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, um retrato (e crítica) dos costumes brasileiros na época de D. João VI.

 

 

Não posso dizer que adorei, mas valeu pelo cenário crítico.

Há algumas semanas li uma matéria na revista Vida Simples (o site não abriu direito aqui, então não achei a matéria pra colocar aqui) que tratava da leitura de clássicos. Essa leitura foi um dos motivos de eu criar o blog e também serviu como estímulo para eu ler alguns clássicos deixados para lá… Desde então arrumei meu guarda-roupa (infelizmente não tenho uma estante pra colocar os livros) e fiz uma pilha de livros não-lidos.

Devem ser uns 30 não lidos, entre meus e da minha mãe. Fora esses há ainda aqueles espalhados pela casa, no trabalho da minha mãe, em outro armário etc, mas estes são os sobre psicologia ou antroposofia.

Enfim, eu quero ler todos esses livros até o fim do ano 😀 e alguns são os clássicos. Dentre eles: Cervantes, Jorge Amado e Flaubert…

O primeiro lido, foi Suave é a Noite, de F. Scott Fitzgerald.

[1688249_4.jpg]

 

Eu adorei e me surpreendeu muito. No início é bem sonhador, francês e suave. Mas o desenrolar mostra uma história bem diferente daquilo que se imaginava.

O livro parece retratar bem os anos 20 e 30, a sociedade exasperada por uma vida um tanto quanto vazia, em busca de um algo mais insaciável.

Enquanto lia o romance, assisti a O Grande Gatsby, outra obra de Fitzgerald. Me arrependi um pouco porque agora que já sei o final não tenho vontade de ler.. mas o filme é muito bom.

 

 

Eu não quero que esse blog fique recheado de livros aparentemente chatos – porque até agora é o que parece. Mas como acabei de ler Para uma revolução democrática na justiça, de Boaventura de Sousa Santos, resolvi postar aqui (não que eu vá começar a postar tudo que é livro de direito que eu ler). Simplesmente porque achei que qualquer pessoa poderia ler esse livro para ampliar a visão sobre justiça e direito.

O livro é bem simples (o que me surpreendeu, devido a outras leituras de Boaventura), acho que por ser derivado de uma das palestras do autor.

Bem pessoal, acabei de ler Noções Básicas de Antroposofia, de Rudolf Lanz. Minha mãe começou um curso sobre a ciência, fui uma manhã pra saber mais e acabamos comprando esse livro. O livro é bem básico mesmo porque a antroposofia é uma ciência um tanto quanto complexa. Gostei das linhas gerais, mas há algumas coisas das quais discordo e é por isso que quero ler mais (fora o fato de umas partes não ficarem claras para mim, como a formação da Terra e da humanidade).

Sobre a antroposofia, um trechinho do livro:

“Temos o mundo físico conhecido, objeto de nossos sentidos e das ciências; é o mundo em que vivemos. De outro lado, sentimos que existe um domínio não-físico, impalpável, mas cuja existência sentimos com uma certeza, por assim dizer, direta, inata.

Não haveria possibilidade de conhecer algo desse outro mundo, de investigá-lo cônscia e cientificamente, por meios adequados, conservando a plena consciência, o espírito crítico, o raciocínio? Em outras palavras: estender conscientemente o campo da pesquisa a esse back-ground espiritual do nosso mundo sensível? Se essa possibilidade existisse, não valeria a pena examiná-la, conhecer-lhe o caminho cognitivo e os resultados porventura alcançados?

Pois bem, a Ciência Espiritual Antroposófica ou ‘Antroposofia’, fundada e estruturada por Rudolf Steiner, afirma seguir essa via. Ela não é religião nem seita religiosa. Distingue-se da especulação filosófica por seu fundamento em fatos concretos e verificáveis, e distingue-se de caminhos esotéricos como o espiritismo pelo fato de o pesquisador, conservando-se dentro dos métodos por ela preconizados, manter a sua plena consciência, sem qualquer transe, mediunismo ou estados extáticos ou de excitação artificial”

O que eu mais gostei até agora foi o desenvolvimento dos estágios do homem (de sete em sete anos) e a descrição da evolução da criança, dando destaque a diferentes etapas de maturação. Aliás, a pedagogia de Steiner continua nas escolas Waldorf, espalhadas pelo mundo.

O livro está disponível aqui.

 

Bom, é isso aí. Acho que amanhã tem outro post, dessa vez sobre um livro que estou lendo para o curso.

;**

 

Bom pessoal, como diz o título, este é o post de boas vindas, mas é mais pra teste mesmo.O blog está em construção e assim que eu terminar de ler um dos livros comento aqui!

Tags:

Blog sobre leituras a afins! Compartilhando histórias e experiências :)

Calendário

julho 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31